quinta-feira, 17 de novembro de 2016

OS DESAFIOS DA IGREJA E OS MERCENÁRIOS DA FÉ.

https://ludeblog.blogspot.com.br/2016/11/os-desafios-da-igreja-e-origem-dos.html
A Igreja precisa urgentemente renovar sua visão espiritual retornando às suas origens e  aos conceitos
da igreja primitiva, onde a fé era vivida em toda sua plenitude, pois onde faltar a fé não haverá verdadeiras conversões, não haverá milagres, não haverá vida, esta fé foi vivenciada pelos apóstolos até o último suspiro, onde resistiu ao poder de Roma, que enfrentou Pilatos, Cesar, Herodes Antípas, Agrípa e sua corte, desafiou os impérios da injustiça e da corrupção. Ao analisarmos o evangelho de João deparamos com a seguinte passagem; Onde Jesus pergunta a um homem enfermo que estava a porta do templo há mais ou menos uns 38 anos. Queres ficar são? (Queres ser curado?), de imediato o mesmo responde.... Não tenho homem (ninguém) algum que me coloque no tanque: mas enquanto eu vou, desce outro antes de mim. Em outras palavras ele estava dizendo que estava completamente sozinho, abandonado, desolado, impotente, enquanto outros em melhores condições eram contemplados com a cura, certamente por causa das condições sociais em que o mesmo vivia e por isso tinha quem o ajudasse.

Nos dias atuais os pastores e obreiros em geral estão canalizados e direcionados para o modernismo com seu poder de marketing, onde os mesmos afirmam que não se faz a obra de Deus sozinho e sem a ajuda financeira adequada para a fundação de templos e para influenciar as massas. Mas estão enganados pois os apóstolos da igreja primitiva evangelizavam cidades inteiras, Felipe evangelizou a Samaria, Jonas evangelizou sozinho e sem recursos a cidade de Nínive, sem falar de Finney, de Moody, vingren e Berg no Brasil, Jonatas Edwards, separado aos 20 anos de idade, a expansão da igreja primitiva deveria servir de modelo para as comunidades evangélicas de todos os tempos, pois quando os discípulos começaram a pregar o evangelho o mundo foi sacudido literalmente.


Posso citar o exemplo de Neemias que liderou um genuíno avivamento.
https://ludeblog.blogspot.com.br/2016/11/os-desafios-da-igreja-e-origem-dos.html
“Estes homens que tem alvoroçado o mundo chegaram aqui também”. Atos 17.6. Vivemos nestes últimos tempos uma inquietude e enigmatismo sem precedentes. Mas o que está acontecendo com a pregação pois àquilo que parecia ser a solução, tornou-se em problemas conflituosos os quais estão mudando e corrompendo a esperança de salvação do ser humano, onde novas diretrizes foram implantadas afim de manipular as mentes indefesas por meio de pregações fantasiosas e recheadas de promessas de riquezas materiais, formado por uma elite de pregadores e cantores gospel, os quais pregam e cantam por valores predeterminado por seus empresários os quais funcionam como uma empresa dentro dos meios evangélicos, tais instituições ameaçam os  verdadeiros objetivos da igreja de Cristo que tem como objetivo a lucidez, a objetividade em suas mensagens esmagadoras contra o pecado e na construção de verdadeiros cidadãos do céus e servos de Cristo,  um dos erros mais graves da modernidade é confundir  avivamento espiritual com as grandes massas em praças assistindo a shows e pregações dos muitos movimentos carismáticos existentes nos dias atuais, o avivamento é uma conversão total de mentalidade do ser humano ao cristianismo, onde há avivamento há curas, transformação da natureza humana (conversão), amor, perdão uma comunhão intensiva e operante, o avivamento é poder . “Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra. ” Atos 1.8, onde o avivamento tem em seu real sentido o poder, sinais e prodígios.  “ E mostrarei prodígios em cima no céu; e sinais embaixo na terra, sangue, fogo e vapor de fumaça. ” Atos 2.19.  Devemos resgatar a dignidade do Cristianismo e sua credibilidade que foi corrompida pelos maus obreiros e mercenários da fé.

renovar sua visão espiritual, igreja primitiva, plenitude, movimentos carismáticos, E mostrarei prodígios em cima no céu; e sinais embaixo na terra, sangue, fogo e vapor de fumaça.
Podemos observar alguns pormenores de extrema importância nos escritos do profeta, como; A posse da Lei diante do povo; A sua leitura durante o dia todo; O povo se coloca de pé em respeito a Leitura da Lei; O efeito da Leitura sobre o povo que com o rosto no pó, renderam graças e adoraram a Deus e o reconheceram como Deus e Senhor, O efeito da leitura no coração do povo e a palavra de consolo do profeta; o avivamento provoca um amor incondicional onde há compartilhamento dos bens materiais, (atos 2.45, partiam juntos, comiam juntos com alegria e singeleza de coração). Neemias 8.2,3,5,6,10. O avivamento produz em primeiro lugar a compreensão da palavra de Deus que produz efeito diretamente no coração provocando obediência, arrependimento e transformação de caráter.
É comum nos púlpitos o Jargão dos Preletores, ou força de expressão; “O Crente tem que pagar preço”, os quais apontam como consequência para o verdadeiro exercício da fé, da renúncia, do sofrimento, da tribulação, do jejum, da oração e do estudo da palavra, da pregação do evangelho e das missões. Só que nos evangelhos está escrito que esse preço ou causa já foi pago. O apostolo Paulo em sua carta aos colossenses; “Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz”. Col. 2.14, isso nos mostra que não temos que pagar mais nada, não há mais dívida, o cristão deve estar preparado para não ficar preso as filosofias e sutilezas mundanas que tem aparência de sabedoria, col. 2.7, pois quando servimos a Cristo não é por obrigação e sim por gratidão, isso mesmo, somos gratos pela libertação e nessa liberdade somos compelidos a pregar e a sofrer pelo evangelho, “E tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como ao Senhor, e não aos homens. ” Col. 3.23. Portanto não há obrigação e sim a operação da Graça na vida do crente. O apostolo nos adverte dizendo que a fé não é de todos e que devemos ter cuidado dos homens dissolutos e maus. (II Tes.3 .23), o mesmo também nos adverte para ficarmos atentos aqueles que vivem desordenadamente, os quais são preguiçosos e ainda praticam coisas erradas (v.11).

 Esses versículos de Isaías merecem um verdadeiro destaque:

“Quem deu crédito à nossa pregação? E a quem se manifestou o braço do SENHOR? ” Quem deu ouvidos, quem acreditou e a quem e para quem foi dirigido tal salvação.
“Era desprezado, e o mais rejeitado entre os homens, homem de dores, e experimentado nos trabalhos; e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum”. Jesus foi desprezado por todos até pelos seus,  (Marcos 6:1-6, Mateus 13:54-58 e Lucas 4:16-30), Jesus foi fortemente rejeitado pela população de sua cidade natal, Mateus afirma que Jesus não fizera muitos milagres por causa da "falta de fé deles". Em uma passagem similar, Marcos afirma que Jesus não foi capaz de realizar nenhum milagre ali, exceto a cura de uns poucos doentes. Lucas acrescenta que Jesus recontou a história sobre como, durante o tempo de Elias, apenas uma mulher de Sidon fora salva e como, durante a época de Eliseu, embora houvesse muitos leprosos em Israel, apenas uma síria havia sido purificada. Isto, de acordo com Lucas 4:29, fez com que Jesus fosse atacado e perseguido até o topo de uma colina, de onde se pretendia atirá-lo. Ele conseguiu, contudo, fugir. Alguns acadêmicos concluem que a acuracidade da versão de Lucas é questionável, em particular neste caso, justamente por não haver "colinas" em Nazaré.
“Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Aqui vemos claramente que ele sofreu antecipadamente onde todas as enfermidades e dores e sofrimento recaíram sobre Ele”.
Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados”. Prosseguindo nos sofrimentos, vemos aqui que Todos os pecados, Iniquidade, e até os nossos castigos, recaíram sobre Jesus.  Isaías 52 1-5.8.    

Porque existem tais Obreiros fraudulentos e Mercenários da Fé?

https://ludeblog.blogspot.com.br/2016/11/os-desafios-da-igreja-e-origem-dos.htmlEm primeiro lugar porque desconhecem o processo de justificação, “ O qual por nossos pecados foi entregue e ressuscitou para nossa justificação” Rm 4.25,   são dois os processos de justificação, primeiro é pagar pelo que devemos e segundo é assegurarmos para não voltarmos mais a essas dívidas. Em segundo lugar porque não são convertidos e criam mecanismos teológicos afim de se destacarem socialmente, materialmente e politicamente.Todos os que querem mostrar boa aparência na carne, esses vos obrigam a circuncidar-vos, somente para não serem perseguidos por causa da cruz de Cristo” Gl. 6.14. Vemos aqui o motivo pelos quais tais obreiros se sentem motivados a criar tais movimentos fraudulentos, os quais se afiliam a partidos políticos, a breve história o apostolo em atos no dá uma prévia de sua dureza e fidelidade aos conceitos da antiga lei, mas em gálatas vemos o mesmo chorando.
 “Porque muitos  há, dos quais muitas vezes vos disse, e agora também digo, chorando, que são inimigos da cruz de Cristo. Cujo fim é a perdição; cujo Deus é o ventre, e cuja glória é para confusão deles, que só pensam nas coisas terrenas”. Filipenses 3:18,19.
  A ideia de alcançar uma posição social de destaque tanto na política como na sociedade, se permeia como uma ideia fixa entre os líderes religiosos nos dias atuais, mas existem uma prova nos evangelhos que o povo queria fazer o mesmo com jesus. (João 6. 14-15), mas o mesmo rejeitou, até o próprio Diabo ofereceu ao mesmo reino, poder e riquezas, mas o mesmo recusou, (Lucas 4.5-8), o cristão não pode atender aos apelos do mundo. “ Vendo, pois, aqueles homens o milagre que Jesus tinha feito, diziam: Este é verdadeiramente o profeta que devia vir ao mundo.
Sabendo, pois, Jesus que haviam de vir arrebatá-lo, para o fazerem rei, tornou a retirar-se, ele só, para o monte”.
(João 6:14,15) 

Mas devemos atender com urgência os apelos de Cristo feito na cruz.

Bibliografia:  

fontes consultada: https://www.bibliaonline.com.br/acf
Fontes consultada: http://bibliaportugues.com/kja/

Autor.
Pr. ADILAU VIEIRA DA COSTA
IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA UNIVERSAL

Nenhum comentário: