sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

A VERDADE SOBRE O SHABAT


A verdade sobre o shabat
O Sábado (Shabat), por ser uma questão doutrinária e institucional, o mesmo ainda persiste em gerar dúvidas e séria resistência por parte dos seus adeptos que tem protagonizado o sábado (Shabat) como um mandamento ainda a ser cumprido, tal pragmatismo religioso, recebeu uma interpretação meramente literal e exclusivista, “O Sábado”, portanto é um dia comum como qualquer outro dia da semana, e sua referência em Gênesis como o dia de descanso aponta para o futuro, sendo na verdade uma profecia e uma referência simbólica da Salvação em Cristo Jesus.

Porque em certo lugar... disse assim do dia sétimo: E repousou Deus de todas   as suas obras no sétimo dia. E outra vez neste lugar: Não entrarão no meu repouso. Visto, pois, que resta que alguns entrem nele, e que aqueles a quem primeiro foram pregadas as boas novas não entraram por causa da desobediência. Hebreus 4:4-6. Esse lugar de repouso é literalmente descrito ao longo da bíblia por vários escritores.

O céu é o meu trono e a terra o estrado dos meus pés. Que casa me edificareis? Diz o Senhor, ou qual é o lugar do meu repouso? Atos 7:49. Aqui Deus deixa claro que o sábado não é o lugar ou o dia do seu repouso.

O texto em Gênesis fala que Deus descansou de suas obras, isto é, acabou no sétimo dia, e assim muitos ficam confusos ao interpretar literalmente o que na verdade é uma profecia para o futuro, pois a lei não estava em evidencia nos dias da criação da terra. O descansar ou repousar tornaria Deus um ser limitado e portando não poderia ser considerado como um “Deus”, e sua palavra se perderia no tempo e não teria mais crédito, veja o que o profeta Elias fala do “deus” dos homens. E sucedeu que ao meio-dia Elias zombava deles e dizia: Clamai em altas vozes, porque ele é um deus; pode ser que esteja falando, ou que tenha alguma coisa que fazer, ou que intente alguma viagem; talvez esteja dormindo, e despertará.1 Reis 18:27. Aqui o profeta descreve o “deus” dos judeus, dos incrédulos, do mundo, como um que dorme e descansa, como um deus surdo, esse é o “deus do sábado”.


Veja o que o profeta Isaías falou:

“Não sabes, não ouviste que o eterno Deus, o Senhor, o Criador dos fins da terra, nem se cansa nem se fatiga? É inescrutável o seu entendimento”. Isaías 40.28. Davi descreve em poucas palavras um dos atributos de Deus que é a Vigilância. “Eis que não tosquenejará nem dormirá o guarda de Israel”. Salmos 121.4.

A interpretação literal do quarto mandamento e sua fundamentação como concerto ou mandamento eterno, tem impossibilitado muitos a não compreender o sentido Espiritual dos textos bíblicos, pois vemos claramente que o sábado como mandamento teve um tempo pré-determinado até a ressurreição de Cristo e o mesmo vem sendo profanado nos dias atuais pelos adeptos das religiões que o considera como uma lei que deve ser cumprida, e assim invalidando o sacrifício de Jesus. “Mas digo isto: Que tendo sido a aliança anteriormente confirmada por Deus em Cristo, a lei, que veio quatrocentos e trinta anos depois, não a invalida, de forma a abolir a promessa”. Gálatas 3:17.

Vemos portanto que o Sábado não é um dia qualquer como os demais dias da semana como descrito por Deus em Gênesis e sim de um lugar predeterminado por Deus para descanso dos seus escolhidos. “A Nova Jerusalém” veja os versículos. “E eu, João, vi a Santa Cidade, a nova Jerusalém, que de Deus descia do céu, adereçada como uma esposa ataviada para o seu marido”. Apocalipse 21:2. Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vos teria dito. Vou preparar-vos lugar. João 14.2.

Uma pergunta que não pode se calar. Como Deus descansaria no sábado, é possível Deus descansar em um dia de 24 horas, claro que não. Esse 4º mandamento está referindo-se em especial a salvação eterna “Porque, se Josué lhes houvesse dado repouso, não falaria depois disso de outro dia. Hebreus 4:8.

Se observarmos com a devida atenção, o sábado de descanso para os judeus era lei, e esta lei era exclusiva para os mesmos e os gentios eram proibidos de realizar os rituais judaicos, então se esta lei ainda estiver em evidência, estamos todos perdidos e nossa fé é em vão. “Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada". Gálatas 2.16. O apostolo continua dizendo... “Porque eu, pela lei, estou morto para a lei, para viver para Deus”. Gálatas 2.19. Estou morto para a lei, portanto, guardar o sábado como lei não é mais uma obrigação. “Todos aqueles, pois, que são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las”. Gálatas 3.10.

As instituições atuais justificam a guarda do sábado como um mandamento e concerto eterno, ignorando que a lei tornou-se maldita, uma vez que a condenação da mesma era carnal ou melhor o indivíduo era castigado, torturado, sendo até morto, isto é, o castigo era físico, mas a graça mata o indivíduo espiritualmente, como ocorreu com Adão e Eva, após desobedecerem a Deus eles não morreram fisicamente e sim espiritualmente. “Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro; Gálatas 3:13.

Então a terra folgará nos seus sábados, todos os dias da sua assolação, e vós estareis na terra dos vossos inimigos; então a terra descansará, e folgará nos seus sábados. Levítico 26:34. Vemos mais uma vez que o “Descanso ou Repouso” de Deus, não se refere a um dia comum como o sábado de 24 horas como muitos afirmam, em sim de um “LUGAR ESPECIAL E PREPARADO POR DEUS”.

Porque aquele que entrou no seu repouso, ele próprio repousou de suas obras, como Deus das suas. Hebreus 4:10. Isto é, Jesus, após ter sido crucificado e morto, o mesmo foi recebido no céu e está à direita de Deus o Pai. Marcos 16.19, I Pedro 3.22. Assim jurei na minha ira. Que não entrarão no meu repouso. Hebreus 3:11. Mas uma vez a referência “Repouso” indicando um lugar, e não do sábado como um dos dias da semana.

Procuremos, pois, entrar naquele repouso, para que ninguém caia no mesmo exemplo de desobediência. Hebreus 4:11. Aqui a expressão “procura, pois entrar naquele repouso” aponta para uma atitude do ser humano em aceitar o sacrifício de Jesus e se preparar para estar com ele”, pois é lá o lugar de descanso.  “Mas a nossa cidade está nos céus, de onde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo”, Filipenses 3:20, O Apostolo Paulo desejou a morte, isto é, estar onde cristo estava, em outras palavras descansar de suas obras. “Mas de ambos os lados estou em aperto, tendo desejo de partir, e estar com Cristo, porque isto é ainda muito melhor. Filipenses 1.23.


Porque nós, os que temos crido, entramos no repouso, tal como disse: Assim jurei na minha ira.  Que não entrarão no meu repouso; embora as suas obras estivessem acabadas desde a fundação do mundo. Hebreus 4:3. Desde a fundação do mundo aponta para o 4º mandamento dado a Moisés, o qual Deus retrata simbolicamente a figura de Jesus. E para entrar nesse repouso somente através das  obras por meio da fé em Jesus. E a quem jurou que não entrariam no seu repouso, senão aos que foram desobedientes? Hebreus 3:18. O juramento é uma promessa para o futuro.

E outra vez neste lugar: Não entrarão no meu repouso. Hebreus 4:5. Temamos, pois, que, porventura, deixada a promessa de entrar no seu repouso, pareça que algum de vós fica para trás. Hebreus 4:1. Portanto, resta ainda um repouso para o povo de Deus. Hebreus 4:9. Visto, pois, que resta que alguns entrem nele, e que aqueles a quem primeiro foram pregadas as boas novas não entraram por causa da desobediência, Hebreus 4:6. Passagens explícitas e objetivas, onde vemos que o repouso ou descanso bíblico era uma promessa (profecia) para o povo de Deus.

Os dois Sábados: O primeiro Sábado foi estabelecido por Deus antes da Lei (Gênesis 2.2,3); O segundo estabelecido por Deus ao povo através de Moisés como uma lei.

O Sábado como mandamento ou o sétimo dia era figurativo e adornado por símbolos e rituais; O Espiritual foi estabelecido por Deus no final da criação do mundo e a lei não estava em evidência; O mandamento que era o literal, foi estabelecido por Deus, que espiritualmente o mesmo envolve toda uma simbologia com seus rituais e alegorias, é só observar que as referências ao sábado da lei são divergentes, e não segue uma  ordem ou cronologia exata, veja: 
a). Uma vez no mês; Sábado de descanso vos será; então afligireis as vossas almas; aos nove do mês à tarde, de uma tarde a outra tarde, celebrareis o vosso sábado. Levítico 23:32.  
b) De sete anos: Porém ao sétimo ano haverá sábado de descanso para a terra, um sábado ao Senhor; não semearás o teu campo nem podarás a tua vinha. Levítico 25:4;
c) Sete dias e Sete semanas; Depois para vós contareis desde o dia seguinte ao sábado, desde o dia em que trouxerdes o molho da oferta movida; sete semanas inteiras serão. Levítico 23:15.
d) No Sétimo mês; No sétimo mês, no dia quinze do mês, na festa, fará o mesmo por sete dias, tanto o sacrifício pelo pecado, como o holocausto, e como a oferta de alimentos, e como o azeite. Ezequiel 45:25. Levítico. 23.24.

A ligação entre os dois sábados requer um discernimento espiritual apurado dos textos bíblicos, o sábado era e ainda é, uma forma de santuário terrestre. Quando Deus santificou o dia sétimo, o mesmo estava de antemão apontando para o cumprimento do sacrifício expiatório de Jesus e sua ressurreição; Porque aquele que entrou no seu repouso, ele próprio repousou de suas obras, como Deus das suas. Hebreus 4:10. Aqui vemos o repouso de Cristo e o repouso de Deus como um só, Jesus consagrou sua obra expiatória na cruz.

O Sábado também era considerado um dia santo para os judeus os quais deveriam reverenciá-lo e santificá-lo, ou melhor era um dia separado exclusivamente para santificação do povo. "  é o teu santo sábado lhes fizeste conhecer; e preceitos estatutos e leis mandastes pelo ministério de Moisés, teu servo". Neemias 9.14. " Lembra-te do dia de Sábado para o santificar". Êxodo 20.8. " Nem tirareis de casa no dia de sábado as vossas cargas, nem façais obra alguma; antes santificai o dia de sábado, como eu vos ordenei a vossos pais". Jeremias. 17 22.

Mesmo que o sábado seja considerado um dia de repouso para os homens nos dias atuais, como era no antigo testamento, o mesmo não pode ser confundido com o descanso ou repouso descrito em Gênesis, pois ali “ O Sábado” é simbólico e espiritual e os judeus os quais estão presos a seus costumes e tradições não conseguem ver a espiritualidade nos textos os quais apontam para uma salvação em Cristo Jesus, o Messias prometido. E dizia-lhes: Bem invalidais o mandamento de Deus para guardardes a vossa tradição. Marcos 7:9.

E por isso o apostolo Paulo aconselha: Tende cuidado, para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo; Colossenses 2:8.

Sombra das Coisas Futuras.

"Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz. Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos sábados. Que são sombras das coisas futuras, mas o corpo é de Cristo. Colossenses" 2.14,16,17.

Os judeus, fariseus, saduceus com medo de perderem o status religioso e político os quais estavam sob seu domínio, faziam oposição a cristo e a seus seguidores e por isso perseguiram até mata-lo. Porque nós lhe ouvimos dizer que esse Jesus Nazareno há de destruir este lugar e mudar os costumes que Moisés nos deu. Atos 6:14, e assim fizeram com o apostolo Paulo: E, quando já era dia, alguns dos judeus fizeram uma conspiração, e juraram, dizendo que não comeriam nem beberiam enquanto não matassem a Paulo. Atos 23:12.

Então alguns dos fariseus diziam: Este homem não é de Deus, pois não guarda o sábado. Diziam outros: Como pode um homem pecador fazer tais sinais? E havia dissensão entre eles. João 9.16. “Então Jesus lhes disse: Uma coisa vos hei de perguntar: É lícito nos sábados fazer bem, ou fazer mal, salvar a vida, ou matar? ”  Lucas 6:9. E Jesus lhes respondeu: Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também. João 5:17. E, tomando a palavra o príncipe da sinagoga, indignado porque Jesus curava no sábado, disse à multidão: Seis dias há em que é mister trabalhar; nestes, pois, vinde para serdes curados, e não no dia de sábado. Lucas 13:14. Vemos aqui que o questionamento em si não era os milagres, as curas que eram feitas por Jesus e sim o ato do mesmo estar realizando o mesmo no dia do descanso sabático dos judeus.

Jesus mais uma vez deixa claro que veio para cumprir a lei ou mandamentos que nenhum judeu ou gentio pode cumprir. Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim ab-rogar, mas cumprir. Mateus 5:17. Se até aquele momento nenhum judeu pode cumprir os mandamentos, como poderão cumprir agora se a lei se tornou espiritual, pois os mesmos continuam na desobediência acreditando em Maomé, João Batista e não acreditam no verdadeiro Messias “Jesus Cristo”, na verdade as instituições Sabatistas, são na verdade Instituições fanáticas e Idólatras pois tem o sábado como dia santo, e com isso desprezam e invalidam o sacrifício de Jesus.

E disse-lhes: O sábado foi feito por causa do homem, e não o homem por causa do sábado. Marcos 2:27.  Isto é, o sábado depende do homem e não o homem do sábado, aqui o homem tem o sábado sob seu controle. E ele lhes disse: Podeis vós fazer jejuar os filhos das bodas, enquanto o esposo está com eles? Lucas 5:34. Porque o Filho do homem até do sábado é Senhor. Mateus 12:8. E dizia-lhes: O Filho do homem é Senhor até do sábado. Lucas 6:5. Se Jesus é o Senhor do sábado, Ele é meu Senhor e assim como ele trabalhou no sábado e cumpriu a lei, eu também cumpro a lei trabalhando todos os dias, inclusive no sábado.

Jesus foi acusado de profanar o sábado e de não cumprir a lei e baseado no quarto mandamento os judeus acusaram Jesus. E a prova que este sábado era simbólico ou espiritual o qual apontava para a obra redentora de Jesus na Cruz, foi que o mesmo trabalhava no sábado, pois foi exatamente o que os judeus falaram e isso serviu de base para jesus ser condenado. “E, tomando a palavra o príncipe da sinagoga, indignado porque Jesus curava no sábado, disse à multidão: Seis dias há em que é mister trabalhar; nestes, pois, vinde para serdes curados, e não no dia de sábado. Respondeu-lhe, porém, o Senhor, e disse: Hipócrita, no sábado não desprende da manjedoura cada um de vós o seu boi, ou jumento, e não o leva a beber? ”. Lucas 13:14,15. Os Judeus trabalhavam no sábado normalmente, mas por demagogia religiosa, os mesmos ao ver jesus trabalhando, foram movidos de uma falsidade religiosa, e assim usaram a lei do sábado como um argumento contra Jesus. 

Foi então que Jesus citou a violação do quarto mandamento pelos judeus. 

“Ou não tendes lido na lei que, aos sábados, os sacerdotes no templo violam o sábado, e ficam sem culpa? Mateus 12:5. “Os seus sacerdotes violentam a minha lei, e profanam as minhas coisas santas; não fazem diferença entre o santo e o profano, nem discernem o impuro do puro; e de meus sábados escondem os seus olhos, e assim sou profanado no meio deles. Ezequiel 22:26. Os seus profetas são levianos, homens aleivosos; os seus sacerdotes profanaram o santuário, e fizeram violência à lei”. Sofonias 3:4.:?.

Uma prova infalível de que a lei que era literal para os judeus no A.T., era na verdade simbólica e apontava para o sacrifício de Jesus, pois o mesmo apontava para um ritual a ser cumprido pelos judeus. “De maneira que a lei nos serviu de aio, para nos conduzir a Cristo, para que pela fé fôssemos justificados”. Gálatas 3:24

Conclusão.

Portanto não há base bíblica para ter o sábado como um dia específico para se descansar, ou ficar sem trabalhar como se fosse um mandamento ou dia considerado por muitos como “Santo”. O Sábado descrito nos dez mandamentos refere espiritualmente a “Nova Jerusalém” como descreve o apostolo. O Sábado é a promessa de Deus aos seus filhos, o qual figura como um concerto perpetuo ou eterno o qual se cumprirá em um dia determinado por Deus.

Mas nós, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e nova terra, em que habita a justiça. Por isso, amados, aguardando estas coisas, procurai que dele sejais achados imaculados e irrepreensíveis em paz. 2 Pedro 3:13,14

Porque até agora não entrastes no descanso (no sábado de Deus) e na herança que vos dá o Senhor vosso Deus. Deuteronômio 12:9. Porque disse Davi: O Senhor Deus de Israel deu repouso ao seu povo, e habitará em Jerusalém para sempre.1 Crônicas 23:25. Levanta-te, pois, agora, Senhor Deus, para o teu repouso, tu e a arca da tua fortaleza; os teus sacerdotes, ó Senhor Deus, sejam vestidos de salvação, e os teus santos se alegrem do bem. 2 Crônicas 6:41.

As instituições atuais justificam a guarda do sábado como um mandamento e concerto eterno, ignorando que a lei tornou-se maldita por que não foi cumprida pelos judeus e a mesma tem como sentença a morte e assim essa lei foi pregada na cruz sendo cumprida em Cristo Jesus. E assim nós que estávamos retidos por essa “Maldição”, fomo libertados por cristo para servirmos a Ele em liberdade. “Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro; Gálatas 3:13

Shabat.

No hebraico שבת, descanso/inatividade, no judaísmo como o dia sétimo de Gênesis, após o sexto dia da criação, sendo observado pelos judeus a partir do pôr do sol de sexta feira até o pôr do sol do sábado. A observância do sábado por outras religiões de outros países orientais e ocidentais cai no contraditório pois de acordo com o A.T. tal mandamento é uma lei exclusivista, a qual mantém os judeus presos a lei do A.T., “O sacrifício dos ímpios já é abominação; quanto mais oferecendo-o com má intenção. ” Provérbios 21:27, inclusive aos demais seguidores e religiões, os quais estão fora do plano de salvação em Cristo Jesus, estando os mesmo sob a maldição descrita na Bíblia e assim longe da Salvação.

“E é evidente que pela lei ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá pela fé”. Gálatas 3.11

Referencias Bibliografias:

https://www.bibliaonline.com.br.
http://bibliaportugues.com/kja/



Pr. Adilau Vieira da Costa.

IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA UNIVERSAL

Nenhum comentário: